Sal proteinado: guia para ganho de peso + receita grátis

Para que sua propriedade seja a referência de ganho de arrobas na sua região, neste conteúdo, a Boi Saúde te explica aqui as principais dúvidas sobre o sal proteinado. Manter uma alta produtividade é a expectativa de todo produtor que foca no lucro. Para se tornar uma atividade rentável, a pecuária exige alguns cuidados diários na lida e, principalmente, na alimentação e suplementação.

Por ser um dos suplementos mais utilizados, é comum que as dúvidas estejam presentes no nosso dia a dia. Para que você evite prejuízos ao oferecer de forma errada, aprenda aqui tudo o que você precisa saber a respeito desse sal!

Nas próximas linhas, vamos entender a importância e todos os aspectos que indicam porque temos mais resultados na balança quando utilizamos o sal proteinado.

Quem sabe, você deixa o medo de investir em algo que não tenha certeza do resultado de lado e inclua na rotina alimentar do seu rebanho.

Para começar bem, te orientamos aqui como fazer seu próprio sal proteinado. Saber realmente o que está oferecendo auxilia no estudo sobre o que está dando certo ou errado.

Então, aprenda agora mesmo a receita com todo o passo a passo. É só clicar e adquirir gratuitamente: quero receber a receita de sal proteinado.

Neste conteúdo, você terá acesso aos temas: 

Tudo sobre sal proteinado 

O que é sal proteinado?

É um sal composto por elementos que tem proteína como base. Ou seja, é o sal mineral, complementado com proteínas tão essenciais para o gado.

Entre os ingredientes estão componentes essenciais para a manutenção da boa saúde do gado.

Quer saber quais são os principais componentes do sal? Aí vão: cálcio, ferro, enxofre, potássio, magnésio. Se para a saúde humana, eles são essenciais, para os animais também não podem faltar.

Ainda, tem capacidade de reduzir o tempo de abate. O uso é destinado ao gado de corte e de leite, sem contraindicação.

Então, se a sua meta é conquistar mais e mais arrobas, tenha sempre esse tipo de sal no cocho dos seus animais.

Para que serve?

Um dos principais objetivos é evitar a queda da produção de arrobas. Ou seja, reduzir ao máximo as chances de perda de peso.

Repor os nutrientes que não são encontrados no pasto e facilita ao produtor manter a engorda expressiva.

Durante a seca, devido à falta de chuvas, a pastagem não produz a quantidade suficiente de proteínas para que o gado ganhe peso.

Sal proteinado: guia para ganho de peso
Sal proteinado: guia para ganho de peso – Foto: Rubens Ferreira/@fotodeboi

Benefícios do sal proteinado na pecuária

O uso do sal proteinado na seca serve também para melhorar o consumo do que é oferecido. Já que não há pastagem, esse tipo de sal consegue potencializar os resultados dos outros elementos disponíveis. Por exemplo, a ração e a silagem.

O sal proteinado não faz milagre sozinho na pecuária. A Boi Saúde sempre reforça nos conteúdos que é uma força extra, que tem um impacto muito positivo na nutrição e produtividade. Desde as suas instalação, passando pelo calendário de vacinas, controle de calor e frio, prevenção de doenças, transporte até o abate… Tudo isso influencia no qual seu negócio irá lucrar.

Não deixe de ter um planejamento muito bem detalhado. Uma planilha cai muito bem nessas horas. Oriente sua equipe e tenha uma mão de obra efetiva.

Faça a diferença e sempre mais do que o recomendado. Como resultado, seu fluxo de caixa sempre está no verde e você com grana no bolso em quantias maiores a cada ano.

Gado de corte

A partir do momento que uma pessoa decide criar gado, o ganho de peso diário e evitar a perda de arrobas passam a fazer parte da rotina.

Se o boi perde peso, o investimento acaba revertendo em prejuízo. Mas se os quilos são maiores a cada pesagem na balança, então significa que o negócio vai muito bem obrigado.

E que produtor não quer o gado cada dia mais gordo, de forma saudável e nutritiva?

Se essa é a sua intenção, então comece hoje mesmo a programação para oferecer esse suplemento no cocho na próxima seca.

Aproveite nossas dicas:

Gado de leite

No caso da produção de leite, o uso do sal proteinado proporciona melhora no desempenho e aumenta a qualidade do produto.

Na abertura deste tópico te chamamos a atenção sobre o que faz uma propriedade ter grande sucesso na criação de gado. E no caso do gado de leite, os cuidados são os mesmos. Claro que respeitando as particularidades dessa produção que demanda uma estrutura como sala de ordenha, a ordenha em si e a higiene.

Além do sal proteinado, ofereça uma ração que potencializa a produção não só em quantidade, mas qualidade.

Para isso, confira o que está alimentando suas vacas hoje em dia. É o suficiente para atender o que o mercado pede?

Sabe aquele produto que dá orgulho de negociar com o fornecedor? Você consegue oferecendo a ração ideal para o gado de leite. Caso esteja se perguntando como fazer, a resposta está aqui: receita de ração para gado de leite.

Qual o ganho de peso? 

O gado tem projeções de engorda de 200 gramas por dia, a partir do consumo desse sal no cocho. Esse dado é da Embrapa.

Precisamos reforçar que para atingir esse ganho, outros fatores são levados em conta. Muitos deles, vamos indicar aqui mesmo.

Começando pela escolha da raça. A raça produzida na sua propriedade é adequada para a sua região? Da mesma forma, seu pasto também precisa ser de qualidade.

Vamos fazer uma lista sobre tudo do que impacta o ganho de peso do seu gado, além do oferecimento do sal?

  • A genética dos animais;
  • A ração oferecida, assim como os suplementos;
  • Qualidade da água;
  • Prevenção de doenças, como carrapatos e aplicação das vacinas em dia;
  • Estresse térmico (quando os animais são expostos ao calor ou frio extremos);
  • Estrutura da propriedade.

Para dar conta de tudo isso ao mesmo tempo, ainda mais com uma equipe pequena, tenha uma administração que dê condições de tudo ser manejado de adequadamente.

Organize a rotina, distribua as tarefas e se precisar, faça uma calendário de tudo o que precisa ser feito e os responsáveis por cada tarefa.

Para saber mais sobre o ganho de peso, acesse: Qual o ganho de peso com sal proteinado?

E a respeito da distribuição das tarefas, leia mais orientações: Atividades e rotina do trabalhador rural.

Como oferecer aos bovinos?

Dosagem

dosagem ideal é 1 grama a cada peso de quilo vivo do animal.

Vamos dar um exemplo para que você possa ter mais precisão. Um touro de 500 quilos passa a consumir 500 gramas de sal proteinado por dia.

Essa quantidade é a mesma desde a fase de bezerro até a terminação.

Tipo de cocho

Existem vários tipos de cocho disponíveis para uso na pecuária bovina.

No momento de escolha, procure um material que seja resistente e fácil de ser lavado. E dê preferência para modelos com cobertura.

Principalmente, se você oferece ou pretende usar a ureia junto com o sal.

Bom, o material aqui é o que menos importa: madeira, cimento, bombona, plástico. O que você realmente precisa estar atento é o tamanho. Todos os animais tem que comer ao mesmo tempo, sem exceção.

Depois do tamanho ideal, escolha onde esse cocho será instalado. Evite lamas ao redor. O acesso fácil não impede que os animais cheguem ao comedouro e deixem de se alimentar.

Mais a frente, vamos abordar o uso de ureia. Nunca ofereça esse componente, se voce não tem cocho coberto. Quando a água com a ureia fica acumulada, formando aquele sopão causa intoxicação nos animais. Esse é um problema bem sério que muitos produtores enfrentam. Por isso, tem planos de oferecer a ureia? Construa uma cobertura.

Melhor horário

Alguns produtores abastecem o cocho em qualquer horário e ainda, cada dia em um período diferente.

Se você é um deles, chamamos sua atenção para esse processo que pode estar impactando negativamente seu negócio. Sim, isso mesmo!

Como os bovinos são animais de hábitos, é muito importante ter horários regrados. Além disso, a rotina facilita a administração da lida.

Se a propriedade tem funcionários, instrua um para que a tarefa diária de oferecer o sal aconteça sempre nos mesmos horários. E que não seja esquecida de jeito nenhum.

Vamos aos horários mais indicados. Como vivemos em um país tropical, onde o calor é predominante em boa parte das regiões, ofereça o sal proteinado nos períodos mais frescos do dia. Nesses horários, o gado tende a comer mais e melhor, já que estão mais dispostos.

Então, para melhor planejamento, oriente que o cocho seja abastecido até às 10h da manhã. E no período da tarde, só depois das 16 horas.

Como fazer o sal proteinado na minha propriedade?

Ao fazer seu próprio sal, você vai saber exatamente os ingredientes e ainda terá uma economia extra. Com a chegada da seca, poderá se programar, por meio de um calendário quando fazer e ainda, ter um estoque, de acordo com a quantidade de cabeça de gado. Ou seja, não haverá um investimento maior que o necessário.

Os ingredientes são bem simples. Você encontra em qualquer casa especializada com custo bem acessível.

Tome nota de alguns itens que vão na receita:

  • Farelo de soja;
  • Milho triturado;
  • Sal mineral e sal comum;
  • Ureia.

A receita completa do sal proteinado, com as devidas proporções, você adquire grátis no link: quero aprender o passo a passo da receita de sal proteinado.

Ao receber o material automaticamente no seu e-mail, você pode imprimir e deixar à vista para todos os funcionários que atuam na produção e abastecimento do cocho. É uma facilidade que a Boi Saúde proporciona para sua pecuária.

Posso misturar com sal mineral?

Neste tópico, pedimos sua atenção!

Os dois tipos de sal: proteinado e mineral podem ser oferecidos ao mesmo tempo, mas nunca misturados e no mesmo cocho.

A justificativa é que a dosagem dos dois é completamente diferente. Quando misturados, os bovinos têm o risco de consumir um tipo de sal a mais, o que não é indicado. Ou até a menos, o que vai te trazer prejuízos, já que o resultado esperado não acontece.

O sal mineral é outro suplemento muito importante para a nossa produtividade e ganho de peso. A diferença é que, como o nome diz, é baseado em minerais.

O uso é mais frequente nas águas, quando a falta de minerais é maior. Ou seja, para que sua produtividade seja sempre alta e tenha um lucro acima da média, programe-se para oferecer sal mineral nas águas e sal proteinado na seca.

Dessa forma, os bovinos estarão nutridos com o que mais falta no pasto em cada época do ano. A perda de peso não fará mais parte da sua realidade.

A dosagem do sal mineral não é por peso, como o proteinado. É por cabeça. Ofereça entre 80 e 100 gramas de sal mineral por dia para cada cabeça de gado.

E como o sal proteinado é calculado de acordo com o peso vivo, as quantidades não batem para que seja misturados no mesmo comedouro.

Ficou alguma dúvida? Deixe sua pergunta nos comentários que em breve, iremos te responder.

Sal proteinado: guia para ganho de peso
Sal proteinado: guia para ganho de peso – Foto: José Luis Nazareth Rizzatti

Posso misturar com outros aditivos?

Ureia

Acima, já citamos sobre um dos cuidados do uso da ureia para evitar a intoxicação. O mais importante é perder o medo de oferecer esse suplemento para os animais na seca.

Seguindo os cuidados básicos, que não são difíceis de implementar na propriedade, a perda de peso durante a falta de chuvas deixa de ser uma realidade no seu negócio. O assunto é tão importante que produzimos um conteúdo com as orientações ideais para evitar problemas: Tudo sobre ureia para bovinos: confira os cuidados.

Voltando ao sal proteinado, o uso com ureia é muito recomendado.

Ao contrário do sal mineral que não pode ser misturado com o proteinado, a ureia mistura com a ureia tem muitos benefícios.

Só fique atento na dosagem adequada.

Como o sal proteinado é um grama para cada quilo do peso vivo do animal, acrescente 12% de ureia nessa mistura.

Virginiamicina

Esse aditivo de nome complicado faz milagre na produtividade pecuária. Isso mesmo.

Se a sua intenção é ter um gado com ganho expressivo de peso, foque no uso da virginiamicina aliada a outros suplementos, como o sal proteinado.

A virginiamicina tem vários benefícios.

O primeiro é o ganho de peso. Muitos produtores que adotam o método Boi 777 a utilizam para conquistar as setes arrobas em cada fase.

Por prevenir problemas de saúde como acidose ruminal e timpanismo, o aditivo permite que os nutrientes da ração, pastagem e sal proteinado, além dos demais tipos de sal, seja literalmente absorvidos pelo organismo do gado.

Com isso, o bovino não sofre com doenças digestivas, fica com a saúde fortalecida e, como resultado, ganha o peso que o pecuarista tanto espera ao fim da temporada.

A virginiamicina pode ser oferecida com o sal proteinado, sem problema nenhum. Aliás, seu lucro só tem a ganhar.

Quer saber mais sobre como esse suplemento funciona? Então, clica aqui: Virginiamicina: saiba tudo sobre o composto.

Monensina

Muito utilizada na pecuária leiteira, a monensina é outro aditivo utilizado na criação de gado. Mas o gado de corte também tem benefícios e uso liberado. É nada mais que um antibiótico que reduz o desenvolvimento de bactérias que fazem mal aos bovinos.

Dessa forma, algumas doenças que causam grande impacto financeiro ficam longe da sua porteira.

Ficou em dúvida sobre a diferença entre esses dois aditivos? Cada um tem sua função: Diferença entre virginiamicina e monensina sódica.

O que acontece quando não utilizo o sal proteinado?

A perda de peso pode acontecer. E o gado tem chances de não ficar nutrido o suficiente para render a produtividade que você planejou no início da safra.

Infelizmente, quando o gado não está com 100% da saúde em dia, além do peso, está sujeito a ter mais doenças. Só a ração e a silagem no cocho não bastam.

E se o seu regime é baseado no confinamento, com oferecimento de grãos o ano todo, é a mesma coisa. Mesmo que o pasto não faça parte da rotina, mesmo durante as águas e sua produção não sinta falta alguma, a nutrição apenas com esse tipo de alimentação no cocho, não é suficiente.

Agora, façamos uma reflexão, por que você ainda não oferece o sal proteinado?

Vamos para mais justificativas de uso:

  • Baixo custo. Principalmente, por ter a possibilidade de ser feita na propriedade, conforme receita já indicada mais acima;
  • Resultado rápido;
  • Fácil manejo;
  • É vantajoso quando se trata de economia.

Qual o impacto do uso do sal proteinado na seca?

O impacto é sempre positivo. No entanto, você precisa aliar o uso do sal com outras demandas da pecuária.

Já pensou em produzir a silagem ainda no período das águas? Para o preparo, você consegue utilizar diversos ingredientes. Desde grãos cultivados na propriedade como milho, mandioca e sorgo até a própria forrageira.

O importante é sempre estar preparado e não deixar que o gado fique sem alimento de jeito nenhum.

Aprenda como fazer:

Quando iniciar

Comece antes mesmo da seca. Ou seja, ainda no período das águas. A explicação é simples: quando começa o período mais crítico (sem chuvas e sem pasto), o gado tende a perder peso.

Mesmo que a ração oferecida no cocho seja a mais adequada, comece nos últimos meses da seca a oferecer sal já nesta época.

Mas se preferir, o gado pode consumir o sal proteinado o ano todo, sem problema nenhum. O resultado será ainda melhor na balança.

Qual a diferença do sal proteinado para os outros tipos de sal?

Sal branco comum

O uso do sal branco comum acontece na pecuária. Não faz mal aos bovinos, quando não consumido em excesso.

Mas, como não tem nutrientes, não atende o que o organismo dos bovinos não só quer, mas necessita. Você encontra o sal comum à venda em espaços como supermercados e demais comércios não relacionados à agropecuária.

Então, amigo produtor, quando o assunto for sal, foque sempre no proteinado, no mineral e no proteico energético.

Para entender melhor, sugerimos a leitura das dicas:

Sal proteico energético

Durante todo este conteúdo abordamos sobre o sal proteinado. Mas qual será a diferença entre ele e o sal proteico energético?

A principal função do proteico energético é fazer com que o gado consuma mais pastagem. Ainda, fazer com que toda a forragem consumida seja melhor aproveitada.

Já que na seca, a pastagem é bem escassa, a época mais indicada para o uso do proteico energético é nas águas. Nesse período, as pastagens estão já se recuperando e ganhando força para alimentar e nutrir muito bem os animais.

Assim como o proteinado, o sal proteico energético também pode ser feito na propriedade, com ingredientes fáceis de serem encontrados nas casas agrícolas e pecuárias. Baixe a receita grátis, clicando AQUI.

E para saber mais, acesse: Sal proteinado e sal proteico energético: entenda a diferença.

Como usar o sal proteinado nas fases de criação?

Para bezerros

Será que os bezerros, animais na primeira fase de criação, podem consumir o sal proteinado?

Essa é uma dúvida muito comum na nossa pecuária. E faz bastante sentido. Muitos produtores se preocupam ao iniciar o oferecimento de determinada alimentação ou suplemento para evitar problemas de saúde no animal.

Entretanto, no caso do sal proteinado o oferecimento para bezerros é liberado, inclusive, muito indicado.

Mesmo o bezerro usufruindo do colostro nos primeiros dias de vida e depois do leite materno, o que significa que está bem nutrido, após o início da introdução de alimentos, o produtor pode sim começar a oferecer esse suplemento baseado em proteínas.

Mas por que oferecer sal proteinado para bezerros?

Simplesmente para fortalecimento da imunidade. Lembra-se que no começo do texto explicamos sobre a falta de proteínas não encontradas no pasto? Então, quando se alimenta no cocho, o bovino ainda na fase de cria tem o organismo reforçado contra doenças.

Para que os bezerros fiquem sem acesso ao cocho por competir com bovinos maiores e mais fortes, monte uma estrutura focada em animais de pequeno porte.

Já ouviu falar no creep-feeding?

Neste local, apenas bezerros conseguem entrar. Com isso, se alimentam de forma tranquila. O tamanho também é adequado para que alcancem. O custo não é alto. Inclusive, existem modelos feitos de materiais sustentáveis como pneus usados, o que otimiza o custa.

Sal proteinado: guia para ganho de peso
Sal proteinado: guia para ganho de peso – Foto: Condomínio Sol Dourado

Na fase de recria

Na fase mais longa da criação do gado de corte, não perder arrobas é um desafio para você? Como dura 12 meses, controlar o peso, focando sempre na engorda realmente é uma conquista e tanto.

Por mais que seu pasto seja saudável e com a forrageira adequada para a região, o sal proteinado reforça a nutrição, evitando queda na produtividade. Então, tenha sempre no cocho o sal proteinado disponível. A dosagem é a mesma indicada para bezerros e animais adultos: 1 grama a cada quilo do peso vivo.

Como essa fase precisa de cuidados e nutrição específica para chegar na terminação com bom rendimento de carcaça, além do sal proteinado, foque em uma ração com ingredientes próprios para o desenvolvimento: receita de ração para recria.

E caso sua criação esteja nessa fase, tenha um alta desempenho com as nossas orientações: Recria: perguntas e respostas.

Terminação

O bezerro nasceu, foi alimentado com o colostro, teve um desmame adequado, além de uma introdução alimentar com suplementos. Passou pela recria e chegou nela com 350 quilos. Agora, está na terminação.

Se a propriedade chega na época das águas, que maravilha, já que o abate será bem na época de ganho de peso.

Atingir os 450 quilos ou até os 500 quilos é a meta dessa fase. Esse número parece impossível para você? E se falarmos que com o sal proteinado é realmente viável?

Entretanto, para um lucro maior, na entressafra, a procura por boi gordo acontece com um preço mais alto devido a escassez. O que fazer para não perder o peso na seca? Se sua resposta foi oferecer sal proteinado, está correta!

Mesmo quando está bem formado e com índice de desenvolvimento do gado de peso seguindo muito bem, fique muito atento para que não aconteça uma regressão.

Vai que por um descuido seu gado começa a emagrecer? É bom nem pensar nessa possibilidade. Para que esse triste cenário fique longe, a solução é manter o sal proteinado no cocho, assim como nas demais fases.

Além do rendimento da carcaça, o índice de gordura conta muito quando o tema é qualidade da carne. Por isso, foque nos detalhes e mantenha todas as atividades em dia.

Para ter um rumo melhor sobre como proceder na nutrição, faça um planejamento. Te orientamos no link: Melhor estratégia nutricional para terminação de bovinos de corte.

Vacas de cria

O sal proteinado é tão poderoso e natural ao mesmo tempo que, além de bezerros, as vacas de cria também estão no grupo de bovinos beneficiados. Com isso, melhoram a nutrição, a partir do uso.

O cálcio e o fósforo são fundamentais para a formação do bezerro que está no útero da vaca.

A dosagem é a mesma indicada para outras idades e fases: 1 grama para quilo de peso vivo.

Além do sal proteinado, ofereça uma ração balanceada para suas matrizes. Tenha consciência que a saúde dessas vacas será o resultado da qualidade dos seus futuros bezerros.

Assim como as demais receita, você também consegue produzir na sua propriedade: Ração para vaca de cria

Sal proteinado para cavalos

Aqui, vamos tirar outra dúvida muito frequente na pecuária. Posso dar sal proteinado para equinos? A verdade é que você pode sim. Mas não é qualquer sal proteinado.

Portanto, fique muito atento às informações que você vai ler agora:

Escolha um sal proteinado que não tenha ureia na fórmula;

monensina sódica também deve ficar de fora do cocho do seu cavalo;

E o sal proteinado que tenha esses dois componentes citados acima: ureia e monensina não podem, de jeito nenhum, fazer parte da rotina alimentar dos equinos.

Entretanto, o sal proteinado oferecido sozinho é uma boa opção para recuperação das atividades da lida e manutenção da nutrição.

A dosagem é diferente da oferecida aos bovinos. Cada equino pode consumir até 450 gramas de sal proteinado por dia.

Além dele, não esqueça de fornecer uma ração que atenda as necessidades do equino. Ainda mais, se você utiliza esse animal na lida.

Então, tome nota de uma receita ideal para cavalos.

E trate muito bem, dando condições de recuperação de possíveis esforços. O soro é uma alternativa fácil e econômica de recuperação. Saiba mais: Como aplicar soro em equinos?

O que fazer quando o gado rejeita o sal

Quando o bovino tem o primeiro contato com o sal proteinado, existe a possibilidade de rejeição.

Em primeiro lugar, por não achar o sabor palatável, ou seja, com um gosto bom. Em segundo lugar, como são animais de rotina, quando se deparam com algo diferente, podem ignorar.

Esse é um dos motivos para observar e fazer o acompanhamento diário dos animais. Porque não adianta apenas servir no cocho e não verificar o consumo.

Entre as rondas, se a rejeição for identificada, existem alguns passos bem simples que resolvem esse problema.

Bom, sabe fubá? Aquele que é ingrediente principal daquele bolo famoso que a gente não dispensa com um cafezinho junto? Pois bem. O gado também gosta dele.

Misture o fubá no sal e a cada dia, vá retirando um pouco até que fique totalmente apenas o proteinado. Uma alternativa ao fubá é o melaço de cana que também serve.

Ainda, se na propriedade há algum bovino já acostumado com o consumo, deixe-o à frente dos demais animais. Ao verem um deles no cocho e usufruindo daquele suplemento, sentirão segurança. A partir dai, perdem o medo e passam a comer o sal.

Fugindo um pouco do sal proteinado, quando oferecemos cana, as abelhas não perdoam. Ficam acumuladas no cocho, o que afasta o gado. O fubá nesse caso não tem serventia. Mas aplicar cal funciona muito bem. Te contamos melhor na dica: Como evitar o acúmulo de abelhas no cocho de animais?

Armazenamento

Para garantir a qualidade do seu sal e evitar prejuízos ao perder esse suplemento porque não soube armazená-lo direito, fique atento às nossas dicas.

Quando você produz sal proteinado ou ainda compra em quantidade acima daquela que irá utilizar naquele momento, não deixe de guardar as sacas de forma correta.

O ideal é ter uma estrutura apenas para esse estoque. Ali, nunca coloque as sacas diretamente no chão. Sempre coloque em estrados. Aqueles comuns, feitos de madeira, já são suficientes. Como resultado, a umidade não afeta o produto.

Cuide ao máximo do local para evitar a entrada de roedores e até a criação de ninhos. Muitos desses animais transmitem doenças, como o botulismo.

A cobertura é outro ponto importante. Verifique que não tem nenhuma telha fora do lugar que permita goteiras ou até mesmo raios de sol.

Sal proteinado: guia para ganho de peso
Sal proteinado: guia para ganho de peso – Foto: Boy Fotógrafo/@boyfotografo

Esperamos que esse conteúdo tenha tirado todas as suas dúvidas sobre o uso do sal proteinado. A intenção da Boi Saúde é promover conhecimento ao pecuarista para que juntos possamos tornar o Brasil o maior produtor de carne do mundo. E para que sua propriedade alcance uma produtividade acima da média e conquiste um lucro cada vez mais.

Caso alguma pergunta sua sobre o tema não foi abordada, escreva nos comentários. Em breve, iremos te responder. E caso o conteúdo tenha contribuído de alguma forma com sua pecuária, vamos gostar de ler sua opinião também.

Lembrando que todos os materiais disponíveis aqui, assim como o seu acesso é todo gratuito, sem nenhum custo.

Para aumentar ainda mais seu ganho de arrobas, assista nossos vídeos com as dicas do José Carlos Ribeiro, Especialista em Agronegócio pela USP/Esalq: Boi Saúde no YouTube.

Crédito da foto da capa: Jadir Bison