Marketing Digital: O futuro do agronegócio no Brasil

O agronegócio é um dos pilares mais importante para a economia do Brasil e torna-se ainda mais forte com a integração com o marketing digital. Sabemos ser possível posicionar o agronegócio no mundo virtual, quando bem desenvolvido com uma estratégia de mercado. A transformação digital no campo está aliada com as novas tecnologias e ambas precisam caminhar juntas para acompanhar o desenvolvimento mundial. Nunca foi tão importante o uso de ferramentas do marketing digital no agronegócio como agora.

Segundo a Confederação da Agricultura e Pecuário do Brasil (CNA), em 2019, o agronegócio foi responsável por 21,4% do PIB, e o que isso quer dizer? Que o setor é responsável pelo ‘motor’ do país, é ele que representa o desenvolvimento econômico brasileiro, isso não temos dúvidas. A pandemia de Covid-19, evidenciou ainda mais a importância do marketing digital para as integrações comerciais. Tanto o produtor quanto o empresário do setor agrícola se viram obrigados a se adaptarem, principalmente no modo como as vendas de mercadorias eram realizadas. Sabemos, que se o empresário ou o agricultor não compreenderem, ou acompanharem todo o processo estratégico e mercadológico encontrarão dificuldades para obter êxito. Com as mudanças, o mundo tecnológico trouxe sim, o avanço, e com ele a visibilidade de produtores de todos os portes, e sabemos que todos precisam se destacar, afinal “Quem não é visto não é lembrado”.

Em meio a tantas mudanças, o campo está caminhando lentamente quando o assunto é marketing digital. A internet faz com que os produtores realizem os processos de formas rápidas, o que antes era feito de forma direta – produtor e comprador -, agora pode ser realizado por um simples toque na tela na palma da mão.

A tendência de crescimento nesse cenário é ainda maior: cada vez mais os negócios deverão ser realizados por meio da internet, conforme pesquisas publicadas. Vendas e compras serão efetuadas por aplicativos, mensagens, entre outros, por isso o produtor rural não pode deixar de se atualizar. Tanto o pequeno como o grande produtor rural precisam ficar à frente desse mundo tecnológico e para isso precisam fazer o uso das ferramentas do marketing digital.

Oportunidade de crescimento 

As oportunidades no agronegócio mesmo sendo incontáveis, podem ser ainda mais exploradas. A estratégia de marketing digital estruturada posiciona a empresa / produtor em destaque. Só para você ter uma ideia, segundo a pesquisa Hábitos do Produtor Rural, 2020, da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), diz a respeito à digitalização: 94% dos entrevistados têm ‘smartphone’ (na pesquisa anterior, de 2017, eram apenas 61%), 74% usam a internet como fonte de informação (contra 42% em 2017) e 90% costumam acessar alguma rede social. Com esses números, podemos concluir que os produtores e as indústrias devem aproveitar ao máximo da tecnologia a favor do agronegócio.

Através do marketing digital é possível expandir a atuação em nível nacional e mundial. Antes se a equipe comercial atuava apenas em determinadas regiões do Brasil, através de um site e campanhas de publicidade online, é possível atingir todas as regiões do Brasil e, inclusive, o mercado internacional.

Uma presença digital sólida nas redes sociais também ajuda a criar diferenciação entre você e os concorrentes. Mesmo em negociações B2B, as redes sociais são importantes. Compradores gostam de conhecer mais afundo sobre a empresa e redes sociais como o LinkedIn, que é um excelente canal para isso.

Falando em LinkedIn, esta é uma excelente plataforma de relacionamento. Através da publicidade nesta rede social, é possível atingir determinado público. Por exemplo, seu anúncio pode atingir CEO, Diretores e Presidentes de empresas de um determinado segmento e de uma determinada região. Com isso, você poderá focar seus esforços e investimento em marketing no público que realmente importa para o seu negócio.

Migração 

Segundo a Embrapa, cerca de 84% dos produtores responderam que já utilizam ao menos uma tecnologia no processo de produção; 70% usam internet e tecnologia em atividades relacionadas à produção rural e 57,5% recorrem às mídias sociais para divulgar dados ou produtos. O uso da tecnologia é o ponto de partida para alcançar a meta de digitalizar o agronegócio até 2030. É preciso se modernizar, incorporar novas tecnologias e mudar o modo de gerenciar os rumos do negócio.

Os jovens no campo 

A pesquisa da ABMRA ressalta ainda, 27% dos empreendedores do campo têm menos de 35 anos. O dado demonstra que essa geração que “cresceu com a internet” está ligada no mercado e ganhando influência. Esse perfil revela que essa faixa etária costuma pesquisar, justamente na rede, antes de comprar um produto ou contratar um serviço para sua empresa. A busca é baseada na reputação da marca e na qualidade dos serviços prestados.

Vale lembrar que o mercado tão amplo como o agronegócio, ganha mais quem estiver mais bem preparado. É preciso inovar e investir em marketing digital, pois ele é responsável pela visibilidade da sua marca/produto pelo impacto da sua empresa no mercado, pelo engajamento, pela referência e pelas vendas, entre outros.

Ricardo Martins – CEO e principal estrategista da TRIWI ( linkedin.com/in/ ricardopintomartins ). Ricardo é especialista em marketing digital, é graduado em Marketing pela Escola Superior Cândido Mendes, no Rio de Janeiro, e concluiu Master em Marketing pela ESPM, em São Paulo. Durante os 20 anos de trajetória na área, atuou em companhias que se destacam no mercado, como Polishop, XP Investimentos, TOTVS e CNA Idiomas. Como consultor, atendeu organizações em diversos segmentos, incluindo Lupo, BM&FBOVESPA e Multilaser.

Fonte: https://www.portaldoagronegocio.com.br/