Qual será o futuro da Agricultura?

Com investimentos de diversas economias ao redor mundo, o agronegócio começou a crescer em larga escala, aproximadamente nos anos 2000. O desenvolvimento agrícola em diferentes economias aliado a preservação ambiental, será fundamental para o desenvolvimento global e primordial para a agenda de investimentos.

Podemos destacar, que o aumento dos preços dos grãos e a inflação global de alimentos estimulou o interesse dos investidores na agricultura. Essa tendência também é reconhecida e bem-vinda na política econômica de diversos países, principalmente para os países em desenvolvimento. Em setembro de 2009, o G20 reconheceu o desenvolvimento agrícola como atividade primordial para o desenvolvimento de economias emergentes, ecoando os apelos do Relatório de Desenvolvimento Mundial (Banco Mundial, 2103).  Podemos concluir que, o consenso entre as instituições de desenvolvimento, agências e investidores estratégicos, será voltado para a segurança alimentar e qualidade dos produtos a serem oferecidos aos consumidores.

Sendo assim, embora esses consumidores também buscam atributos de diversão, surpresa e sensações gustativas nos alimentos, eles também serão sensíveis ao ambiente, sendo considerados também os aspectos éticos e sociais, ou seja, essas tendências devem ter efeitos profundos sobre a origem dos produtos, e ja está modificando toda a cadeida desde a produção agrícola, processamento, atacado e varejo.

Vale ressaltar, pesquisadores afirmam que a cadeia de valor agrícola será cada vez mais dependente para com as preferências do consumidor, como exemplo: Certificações de segurança, ambientais e éticas, rastreabilidade e sistemas de monitoramento. Diante disso, a reestruturação da natureza dos investimentos no agronegócio vai se concentrar na infraestrutura do mercado, desenvolvimento/pesquisa, orientação e incentivo ao produtor e logística.

Avaliando diversas pesquisas no mundo, podemos dizer que o propósito singular dos produtores agrícolas, será o acesso ao próximo nível no cadeia de valor, portanto, mudará a ênfase para o desenvolvimento de infraestrutura, sistemas e tecnologias de suporte, para aumentar a produção e facilitar o funcionamento de todos os níveis de operação, agregando valor ao produto final.

Para um futuro próximo, novas oportunidades de negócios no sistema alimentar serão de investimentos que focam em mentoria, coaching e extensão para produtores conectados com o futuro, e na indústria e venda, mecanismos para apoio e segurança alimentar, serão fundamentais para a evolução de todo o agronegócio.

Fonte: https://www.agrolink.com.br/