Produção e consumo de alimentos saudáveis

Por Engenheira Agrônoma Jailza Siqueira, Mestra em Engenharia Agrícola de Biossistemas.

A Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sergipe – AEASE, estará promovendo no próximo dia 16, cumprindo o ciclo de palestra estabelecido pela sua diretoria executiva, sempre  abordando um tema atual e de relevância para agricultura e sociedade, com enfoque na produção de alimentos orgânicos, ecológicos e sustentáveis. O evento terá como palestrante o Engenheiro Agrônomo Sebastião Pinheiro, professor titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a qual versará sobre o tema: Produção e Consumo de Alimentos Saudáveis.

É importante observarmos que em produções orgânicas, ecológicas e sustentáveis os manejos dos sistemas tendem a economia de energia, a manutenção do equilíbrio ecológico e a ciclagem de nutrientes que o torna mais autossuficiente, possibilitando a ecoeficiência na geração de bens e serviços agrícolas, como por exemplo, a saúde do solo.

A sociedade, por sua vez, está cada dia mais consciente da necessidade de uma vida mais saudável, e esse desejo, por qualidade de vida vêm transformando os hábitos e padrões de alimentação das pessoas. Essas se sentem, ainda mais, movidas por um cenário cada vez mais preocupante, sobre os riscos dos alimentos que consomem. E nesse contexto, os alimentos orgânicos, livres de pesticidas, envolvem um conceito muito mais abrangente, que apenas do ponto de vista da saúde pessoal, se amplia em uma busca por um meio ambiente, onde a água que tomamos, o ar que respiramos, seja igualmente adequada, por isso, que o conceito de vida saudável é bem mais amplo e hoje engloba o desejo das pessoas em incentivar seu consumo para proteger, inclusive, e principalmente, àquele que produz o alimento, o agricultor, que acaba sendo o mais diretamente prejudicado por um modelo de agricultura que tem matado antes mesmo de atingir seu objetivo que deveria ser o de proporcionar saúde e bem estar.

A produção de alimentos orgânicos na Europa é conhecida como biológica e tem avançado bastante a mais de 25 anos, a aplicar leis sérias de proteção à natureza, às águas, ao uso de agroquímicos, sendo que 97 % da população conhecem o seu significado e importância, como é o caso da Dinamarca que estipulou meta de até 2020 duplicar a quantidade atual de terras cultivadas biologicamente. A expansão da agricultura orgânica no mundo tem sido impulsionada em grande parte pelo aumento do custo de produção da agricultura convencional e seu eminente declínio, pela pujante degradação ambiental e principalmente pela exigência de consumidores ávidos por produtos isentos de agrotóxicos.

Os alimentos nutracêuticos ou funcionais vão além de suas funções nutricionais básicas apresentando benefícios a saúde e a possibilidade de serem produzido organicamente, associado ao ato de se ingerir o alimento como um medicamento, torna-o mais conveniente e porque não dizer, algo indissolúvel.